Técnico Informatica

Técnico Informática Registro

A História de Registro-SP no Vale do Ribeira

O município de Registro-SP e sua História 

A História de Registro-SP no Vale do Ribeira

Parabéns Registro-SP pelos seus 75 anos de emancipação

O Município Registro-SP é  situado na região do Vale do Ribeira, surgiu como um pequeno povoado à margem do Rio Ribeira de Iguape. 

Na época, explorava-se ouro no Alto Ribeira que era transportado pelo rio até o porto de Iguape, porém antes de seguir à Iguape todas as mercadorias eram registradas por um agente de Portugal para cobrar o dízimo destinado à Coroa Portuguesa. por isso se originou-se o nome Registro. 

Ainda como povoado pertencente à Iguape, Registro-SP começou a crescer à partir da chegada dos primeiros colonizadores japoneses, em 1913, sendo que neste período Registro-SP era o maior produtor de arroz do Estado de São Paulo. 

Somente em 30 de Novembro de 1944, pelo decreto lei nº 14.334, Registro emancipou-se de Iguape, tornando-se Município, cujas instalações deu-se em 1º de Janeiro de 1945.

Origem do Nome “Registro”

Na época do Brasil Colônia, era conhecido como Porto Registro, por ser passagem obrigatória para registrar o ouro garimpado em Eldorado e Sete Barras, para posteriormente ser, por simplificação, chamado de Registro.

Certamente  Registro-SP tem início da sua história nos primórdios da colonização do Brasil. Com a notícia de que havia ouro no Vale do Ribeira de Iguape, passou a receber aventureiros, piratas e expedições oficiais da coroa. As terras que margeavam o Ribeira eram as preferidas pelos forasteiros para suas acomodações.

Dizem que em muitos trechos não era preciso nem mesmo o garimpo, era só recolher as pepitas que cobriam as margens dos rios.
Depois de passar alguns dias as jazidas, os exploradores desciam o rio para pesar e vender o metal. Com o aumento daquele movimento, as autoridades sentiram necessidade de um controle.
Foi montado, então, um porto de fiscalização onde todos eram obrigados a para. Ali recolhia-se o quinto, ou seja, a parte do ouro que cabia à coroa de Portugal. Surgiu então o Porto de Registro de Ouro, com oficial mor mandado pela coroa no comando, e rapidamente um povoado foi se criando ao seu redor. Muita riqueza passou por ali e deixou o seu rastro a
caminho de Iguape onde o ouro era fundido e vendido. Mas, já no século XVIII o ouro se escassa espantando os forasteiros para os lados das Minas Gerais.

Chegada da imigração japonesa em Registro-SP


Em contrapartida a casa do fisco é fechado e o Porto de Registro, já conhecido como Registro passou a ser apenas mais um povoado à margem do Rio Ribeira. Quando ainda pertencia a Iguape, em 1913, uma vez que Registro-SP começou a crescer com a chegada dos primeiros imigrantes japoneses. Além disso nesse mesmo ano era criada em Tóquio a Kaigai Kogyo Kabushiki Kaisha (companhia ultramarina de Implementos S.A.  “a sigla K.K.K.K” , ao passo que com a missão de apoiar os japoneses que partiam para o Vale do Ribeira. A K.K.K.K foi autorizada a funcionar no Brasil pelo decreto 13.325, de 11 de dezembro de 1918.

 
k.k.k.k
Kaigai Kogyo Kabushiki Kaisha (Companhia Ultramarina de Empreendimentos S.A

Afinal quatro anos mais tarde inaugurava suas instalações em Registro: um bloco de quatro armazéns, com mais de dois mil metros quadrados de área, construído à margem do rio, no estilo arquitetônico da primeira década deste século. Dessa maneira foi Tombado pelo Condephaat em 1987, o prédio da KKKK foi adquirido pela Prefeitura de Registro-SP em 1990 e é patrimônio histórico da cidade. Desse modo com a sua instalação no Brasil, a KKKK recebeu do governo brasileiro a doação de 16 mil hectares de terra devolutas para distribuir aos imigrantes japoneses e adquiriu, com recursos próprios, outros mil hectares para o mesmo fim. Os imigrantes vinham alimentando o sonho de enriquecimento fácil, mas a realidade encontrada era bem diferente.

 Agricultura da colonia japonesa em Registro-SP

Portanto as terras que receberam era de baixa fertilidade e exigiam muito trabalho. Aliás, com o início da 2º Guerra, os colonos japoneses tiveram suas atividades restringidas no Brasil e o trabalho da KKKK, que os apoiava, foi impedido pelo governo brasileiro. Todavia com todas essas dificuldades os japoneses conseguiram fazer a terra frutificar, abriram estradas e promoveram o desenvolvimento da região. Logo depois, foram testadas várias culturas como o arroz, café, cana-de-açúcar, laranja, feijão, fumo, abacaxi, junco, criou-se bicho-da-seda. No entanto, foram a banana e o chá preto que melhor se adaptaram às condições da região.


Conheça o Hino à Registro-SP




Hino à Registro-SP  
Autora :
Professora Wilma Lucia Bertelli Maeji

Oh, Registro! Bela Terra
Às margens do rio plantada
Que aos visitantes descerra
Como pérola engastada.
Nesta serpente de prata
Que coleia pelos campos
Embrenhando-se nas matas
À ninfa dos seus encantos.

Enlevo dos meus amores
Registro, terra querida,
Futuro feito de flores
Das flores da minha vida.

Os filhos de outras plagas
Aqui vivem como irmãos,
Sempre unidos, de mãos dadas
Cultivam e florescem chão.

Amemos todos, crianças
Este céu de encantos mil,
Onde nossas esperanças
Se voltam para o Brasil.

Enlevo dos meus amores
Registro, terra querida,
Futuro feito de flores
Das flores da minha vida.


Escultura Flor de Guaracui

Dados do município de Registro-SP

Como resultado, Registro-SP, tinha uma população de 54.261 habitantes (Censo IBGE de 2010), ainda mais é considerada a capital do Vale do Ribeira. Primeiramente o marco da colonização japonesa no Estado de São Paulo, a cidade se destaca pelo comércio forte, diversas opções culturais e grande leque de institutos de ensino.
Características
  • Sobretudo o Cultivo de banana, chá-da-índia, maracujá, hortaliças, ervas medicinais e plantas ornamentais;
  • Posteriormente a Produção de junco (espécie de palha) para a confecção de produtos como bolsas, esteiras, chinelos, tapetes e tatames artesanais;
  • Surpreendentemente a grande concentração de cabeças de búfalos, com mais de 16 mil unidades;
  • Todavia a presença de hotéis, teatro e espaços para eventos;
  • Antes de mais nada tem as esculturas e monumentos espalhados em diversos locais.

Eventos tradicionais de Registro-SP

Além disso tem a Roda de Violeiros,  Festival que acontece nos meses de maio, em comemoração ao Dia do Trabalho, para premiar as melhores duplas e grupos sertanejos e caipiras;

Em primeiro lugar a Festa do Sushi, realizada pela Associação Nipo Brasileira de Registro nos meses de maio, dessa forma apresenta a culinária japonesa em meio a diversas apresentações artísticas;

De tal forma que a Festa do Queijo e do Vinho, música ao vivo, queijos e vinhos, além de muita dança, fazem parte dessa festa, promovida pela Casa da Amizade, tem renda revertida para entidades beneficentes;

Em segundo lugar o Bom Odori, a Igreja Budista e a Associação Nipo Brasileira realizam em agosto esse encontro com os antepassados, celebrado pelos orientais através de danças típicas, comida e música.

Por certo o Tooro Nagashi é um  evento tradicional japonês, realizado em nosso Dia de Finados,  já que diversos barquinhos são colocados ao longo do rio Ribeira de Iguape em homenagem aos mortos, vítimas do rio;

Expovale. Exposição dos setores de agropecuária, comércio e indústria da região. É realizada nos meses de novembro;
  • Entretanto há ainda outros eventos do calendário municipal: Feira de Artes, Feira do Produtor, Festa da Solidariedade, Festa Nordestina, Torneio de Judô “Toraichiro Suzuki”, Exposição de Orquídeas, Baile da Cidade e Cantata de Natal.

Informações básicas

Assim os Grupos étnicos: a população de Registro está composta por descendentes de italianos (34%), japoneses (33%), luso-brasileiros (25%), alemães (5%) e outros (4%).
De fato a Cidade irmã: Nakatsugawa, no Japão. Desde então em 1980, Registro e Nakatsugawa, cidade localizada na província de Gifu, na ilha de Honshu, região central do Japão, mantêm um convênio tanto no setor governamental quanto através da organização Rotary Club. O tratado é traduzido em intercâmbio, assim a assistência e visitas diplomáticas dos governantes das duas cidades.
  • População: 54.261;
  • Homens: 26.656;
  • Mulheres: 27.605;
  • Área territorial (Km2): 722.412;
  • Gentílico: Registrense;
  • Total de estabelecimentos de ensino: 73;
  • Total de estabelecimentos de saúde: 85.
  • Prefeitos eleitos de Registro-SP

Prefeitos eleitos
  • 1948-1952 Sizenando de Carvalho;
  • 1952-1956 Jonas Banks Leite;
  • 1956-1960 Wild José de Souza;
  • 1960-1964 Jonas Banks Leite;
  • 1964-1969 José de Carvalho;
  • 1969-1973 Jonas Banks Leite;
  • 1973-1977 José Mendes;
  • 1977-1983 José de Carvalho;
  • 1983-1989 Elza Orsini de Carvalho;
  • 1989-1993 Waldir Ferreira Moraes;
  • 1993-1997 José Mendes;
  • 1997-2000 Samuel Moreira da Silva Júnior;
  • 2001-2004 Samuel Moreira da Silva Júnior;
  • 2005-2008 Clóvis Vieira Mendes e
  • 2009-2012 Sandra Kennedy Viana.
  • 2013-2016 Gilson Fantin
  • 2017-2020 Gilson Fantin

Linha do tempo de Registro-SP

Século XVII
Primordialmente são descobertas as primeiras jazidas de ouro na região do Médio Ribeira. O precioso metal que resulta das lavagens na sub-bacia do Alto Ribeira, garimpado em Xiririca (atual Eldorado) e Sete Barras, ainda assim é transportado em canoas e fiscalizado no Porto de Registro do Ouro (atual Registro).
1912
Ao propósito uma assembleia paulista sela contrato de doação de 50 mil hectares de terra não cultivada de propriedade do Estado ao Tokyo Syndicate (Sindicato Tóquio), que a repassa a famílias que se dispõe a emigrar do Japão e radicar-se definitivamente no Brasil.
1913
Assim como em março é constituída a empresa de colonização Brasil Takushoku Kabushiki Kaisha (Sociedade Colonizadora do Brasil/BTKK), que sucede o Sindicato Tóquio no contrato de assentamento. Assim sendo após fundar a Colônia Iguape, em 1919 a BTKK sofre fusão com a Kaigai Kogyo Kabushiki Kaisha (Companhia Ultramarina de Empreendimentos SA. KKKK).
1917
Em seguida o número de famílias japonesas chega a 1.060, totalizando 5.121 pessoas na Colônia, a maioria em Registro-SP.
1919
Em contrapartida chega ao Brasil o imigrante Torazo Okamoto que, três anos depois, começa a plantar chá chinês (Thea assamica Mast).
1934
De acordo com o Decreto-Lei nº 6.665, de 17 de setembro de 1934, eleva Registro à categoria de Distrito da Paz de Registro (tornando-o distrito de Iguape).
Ao passo que Torazo Okamoto traz do Ceilão (atual Sri Lanka) algumas sementes de chá-da-índia da variedade assam. Em resumo as mudas foram matrizes do chá que ainda é produzido em Registro.
1944
Por fim em 30 de Novembro de 1944, pelo Decreto Lei nº 14.334, Registro emancipa-se de Iguape, tornando-se Município, com terras desmembradas dos municípios de Iguape, Eldorado e Miracatu.

Postar um comentário

0 Comentários